Marcelo Cheniaux
Economista, cerca de 30 anos de experiência nas áreas de Gestão de Recursos, Planejamento Estratégico e Análise de Viabilidade de projetos.  Foi CFO do Grupo EBX de 2002 à 2009, quando saiu para fundar a A3 Performance Gestão de Recursos. Anteriormente atuou como Gerente de Finanças e M&A na Rio de Janeiro Refrescos / Coca-Cola (1997-2002), Billiton Metais (1995-1997), AT&T (1995) e Atlantic Petróleo (1992-1995);

Adriano Vaz
Economista, cerca de 30 anos de experiência no mercado financeiro, Planejamento Estratégico e Novos Negócios. Foi Diretor da área de Novos Negócios do Grupo EBX de 2003 à 2009, quando saiu para fundar a A3 Performance Gestão de Recursos; Anteriormente trabalhou nas áreas de marketing e financeira da Brasil Telecom (2002) e Banco Boavista (1993-1999);

Andre Carsalade
Administrador de Empresas formado pela PUC-RJ , com MBA em Finanças pelo IBMEC/RJ e com 17 anos de experiência no mercado financeiro, em tesouraria de grandes empresas multinacionais. Atuou como Gerente Financeiro no Grupo EBX de 2004 à 2009, quando saiu para fundar a A3 Performance Gestão de Recurso. Anteriormente, trabalhou na tesouraria da Rio de Janeiro Refrescos / Coca-Cola (2002-2004) e Aracruz Celulose (2000-2002);

Pedro Lima
Administrador de Empresas formado pela PUC-RJ, com MBA em Gestão de Investimentos pela PUC-RJ e com 10 anos de experiência no mercado financeiro. Atuou na área de controles internos e risco nas assets Opus Gestão de Recursos Ltda (2014-2015), Marlin Gestão de Recursos (2014) e no Grupo EBX (2007-2013).

Marina Fantini
Economista – Ibmec/RJ. Ingressou em 2016 na A3 Performance na área de backoffice;

Adriana Motta
Formada em Administração de empresas. Atuou na Rio de Janeiro Refrescos / Coca-Cola na área administrativa (1991-2013)
 
As informações contidas neste site são de caráter exclusivamente informativo e não representam distribuição de cotas. A A3 Performance Gestão de Recursos não comercializa nem distribui cotas de fundos de investimento ou qualquer outro ativo financeiro. Fundos de investimento não contam com a garantia do administrador, do gestor da carteira, de qualquer mecanismo de seguro ou, ainda, do fundo garantidor de créditos – FGC. A rentabilidade passada não representa garantia de rentabilidade futura. Para avaliação da performance dos fundos de investimento, é recomendável uma análise de períodos de, no mínimo, 12 (doze) meses. Ao investidor é recomendada a leitura cuidadosa do prospecto e do regulamento dos fundos de investimento ao aplicar seus recursos. Estes fundos utilizam estratégias com derivativos como parte integrante de sua política de investimento; tais estratégias, da forma como são adotadas, podem resultar em significativas perdas patrimoniais para seus cotistas, podendo inclusive acarretar perdas superiores ao capital aplicado e a consequente obrigação do cotista de aportar recursos adicionais para cobrir o prejuízo dos fundos.